Back

Claude Shmitz, Jewellery 1995-2009

Meeting  /  24 Mar 2009
Published: 24.03.2009
Claude Schmitz. Brooch: If you want it - come and get it, 2007. Gold, rose opal.. 6 x 4 x 2 cm. Photo by: Patrick Muller. Claude Schmitz
Brooch: If you want it - come and get it, 2007
Gold, rose opal.
6 x 4 x 2 cm
Photo by: Patrick Muller
© By the author. Read Klimt02.net Copyright.

Intro
Claude Schmitz will give a lecture about his work from 1995 up to the present: My work consists of tradition, values, possession, status and a matter of scale and weight. I do not intend to tell a whole story – I just provide the ingredients; the rest is a matter of interpretation.

Artist list

Claude Shmitz
No próximo dia 24 de Março, pelas 15 horas, a ESADEscola Superior de Artes e Design de Matosinhos promove uma conferência com Claude Schmitz, artista e designer de joalharia. Claude Schmitz irá abordar a evolução do seu processo de trabalho nestes dois campos. Em ambos confere relevância a aspectos funcionais e ergonómicos, bem como à recuperação de técnicas tradicionais para o design contemporâneo.

Claude Schmitz vive e trabalha no Luxemburgo e é Mestre em Artes da joalharia e ourivesaria pelo Royal College of Art, em Londres. Licenciou-se em Antuérpia, na mesma área, na Koninklijke Academie voor Schone Kunsten.
Destas universidades, tal como da ESAD, vemos surgir diplomados cujo trabalho corresponde a um leque amplo de linguagens. Uns orientam-se para situações que se inscrevem no campo da arte, outros para o do design, outros para um espaço de interface de ambos, dando respostas às mais variadas solicitações do mercado.

Focando o mestrado no Royal College of Art, lembramos dois exemplos para ilustrar esta ideia. O trabalho de Claude Schmitz é sistematizado do ponto de vista formal e mostra preferência por uma via de continuidade do funcionalismo, aliando materiais como ouro, platina e técnicas tradicionais. Já Manuel Vilhena, que trouxemos à ESAD em 2008, é um joalheiro português que desafia permanentemente os meios e as tecnologias, numa abordagem pragmática a que corresponde um permanente questionamento laboratorial da teoria e das linguagens da joalharia, num incessante processo de hibridação de ideias, de produção do inusitado. Ambos se encaminharam, como é fácil supor, para vias profissionais diferentes e dão a conhecer o seu trabalho em galerias com características distintas.

O meu trabalho consiste na tradição, nos valores, na possessão, no status e em matérias de escala e de peso. Não tenciono contar a história toda, apenas vou fornecer os ingredientes; o resto é uma questão de interpretação”, comenta Schmitz sobre a conferência da ESAD, anunciando ainda: “Vou falar sobre a evolução dos meus trabalhos, desde o princípio, das primeiras peças, até às mais recentes, bem como sobre aquilo que penso que influenciou/provocou as mudanças no meu trabalho. Vou igualmente ilustrar a coexistência de peças únicas e o design de peças como os anéis. Como parte da discussão com os estudantes, poderemos abordar matérias geográficas na joalharia contemporânea”. 

Remarks

Conferência: 24.03.2009 - 15.00 Auditório

Appreciate APPRECIATE